Desde pequenos aprendemos a ouvir notícias nos jornais divulgadas pelo IBGE. Por causa do seu âmbito nacional e sua relação com a palavra estatística, a população de um modo geral, acredita que todo estatístico trabalha ou vai trabalhar no IBGE. O que não é verdade! Continuando a série “verdades sobre um estatístico, afirmamos: “O IBGE não é o único local de trabalho de um Estatístico.”

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (mais conhecido como IBGE) foi criado em 1936 pelo estatístico Mário Augusto Teixeira de Freitas com o nome de Instituto Nacional de Estatística. Basicamente, a Instituição trabalha com estatísticas sociais, demográficas e econômicas de uma maneira bem ampla.

Mas quando falamos em IBGE, a primeira palavra que vem à cabeça é censoE logo depois vem aquele sentimento: “Lá vem aquelas pesquisas que duram 2 horas. Eu duvido que eles entrevistem todo mundo”.

Quem durante a graduação já não ouviu algum amigo ou parente perguntar se você trabalharia no IBGE? Ou se daria aulas?

O problema é que a nossa profissão ainda não é tão difundida no Brasil como gostaríamos. Sei que alguns profissionais da área não medem esforços para que ela se propague ainda mais. Mas temos um longo caminho a percorrer, e muito a aprender. Pelo menos na questão de como divulgar nossa profissão.

Mas vamos lá, estou aqui para dizer que o estatístico pode trabalhar onde quiser! Ele pode criar suas próprias oportunidades. Seja na crise, ou fora dela, sempre vão precisar de alguém para entender o que está acontecendo. Afinal de contas, analisar comportamentos (dados) é uma coisa que adoramos fazer. Está no sangue.

Eu poderia citar apenas outras Instituições, como o INPE, IPEA, DIEESE ou DATASUS. Mas não! Você pode trabalhar em qualquer área. Se você gosta de agronomia, trabalhe com Estatística Aplicada em Experimentação Agronômica. Gosta de Biologia? Sua área pode ser a Bioestatística. Gosta de analisar dados sobre saúde? Pode trabalhar em grandes hospitais ou operadoras de planos de saúde (mercado muito carente de profissionais).

Já perceberam como nossa carreira é ampla?

Se mesmo assim, eu não convenci você de que podemos trabalhar em qualquer lugar, e de fato, você quer trabalhar no IBGE; então sugiro que você faça o curso de Pós-Graduação em População, Território e Estatísticas Públicas na Escola Nacional de Ciências Estatísticas – ENCEA primeira turma iniciou em março/2015. Essa é uma excelente oportunidade de aprimorar o conhecimento na área.

Dica: Se seu amigo acha que você trabalha no IBGE, compartilhe esse post com ele.


Da série “Verdades sobre um Estatístico” você também pode ler: O software “não” faz tudo para o estatístico e Não existe essa história de “dar uma olhadinha” nos dados.

Queremos aproveitar a oportunidade e parabenizar Pedro Luis do Nascimento Silva. Ele é funcionário do IBGE, e foi eleito Presidente do Instituto Internacional de Estatística (ISI). É o primeiro brasileiro a assumir a posição.


Material usado

Imagem do aparelho do IBGE usado em entrevistas: http://bit.ly/2e7ry1M

Siga-nos nas redes sociais

Facebook: https://www.facebook.com/oestatistico

Twitter: https://twitter.com/oestatisticoweb

Instagram: https://www.instagram.com/oestatistico

Pinterest: https://br.pinterest.com/estatisticoblog