Olá pessoal! Depois de 3 semanas sem escrever por conta de excesso de trabalho pré-férias, férias de 10 dias, e projetos paralelos ao site, estamos de volta! E nada melhor do que voltar com uma recomendação de curso para você. Afinal de contas, o tema “cursos” é um dos mais pedidos no site e nas nossas redes sociais.

Então, sem mais delongas, recomendamos um curso que tem tudo para ser um sucesso, e uma grande fonte de aprendizado e troca de experiências em big data, análise de dados, linguagens de programação (R e Python), machine learning e gestão em saúde. Estamos falando do curso de Big Data em Saúde no Brasilministrado pelo professor Dr. Alexandre Chiavegatto Filho, da Universidade de São Paulo – USP, oferecido na plataforma COURSERA.

Que o big data está em alta, você já sabe. Que a saúde é um dos setores, no Brasil, onde há um número menor de pessoas trabalhando com análise de dados, ao contrário do setor financeiro e de seguros, talvez você também já saiba. Que o sistema de saúde no Brasil é precário; não preciso nem comentar.

Então, você está esperando o quê para se inscrever e começar a assistir as aulas? Ah, você não trabalha e não quer trabalhar no setor de saúde? Não tem problema! As técnicas e metodologias apresentadas no curso podem ser aplicadas em qualquer área: Educação, Biologia, Economia, Geografia.

Quer saber como fazer isso, e o que você pode aprender? Vem com a gente, que contamos tudo para você.

O curso começa no dia 15 de outubro (quinta-feira) e termina no dia 21 de janeiro. Tem duração de 6 semanas, e as aulas são separadas em 6 módulos. Estima-se que você precisará de 2 a 3 horas de estudo semanais. Os vídeos e conteúdos são todos em português. É recomendável que você tenha pelo menos iniciado a graduação, e possua algum conhecimento básico de estatística.

Gestão da saúde baseada em dados para uma tomada de decisão mais inteligente

Basicamente, o curso pode ser realizado de duas formas:

  1. Para aqueles que optarem por apenas assistir as aulas, resolver as avaliações (se quiserem), e obter a declaração de participação, o curso é FREE. Isso mesmo! De graça! Tem duração de 6 semanas com término no dia 26 de novembro.
  2. Para os que pretendem comprovar o conhecimento no trabalho (quem sabe vem uma promoção) ou apresentar um certificado na faculdade para obter mais créditos, eu recomendo a versão paga. Nesta modalidade, você terá 6 semanas de aulas (como na opção 1), mas terá até o dia 21 de janeiro para entregar o trabalho final com avaliação de pares. Terá que resolver todos os quizzes e conseguir a pontuação mínima. Dessa forma, você obterá o certificado do curso pela USP. O investimento será de $ 29.
Uma credencial valiosa para os melhores empregos e universidades

Uma credencial valiosa para os melhores empregos e universidades

Aprender técnicas e metodologias de análise para trabalhar com uma quantidade imensa de dados é algo imprescindível atualmente. Como disse Eric Siegel, no livro Predictive Analytics, “os dados que coletamos anualmente nos permitem ver as coisas que até pouco tempo atrás eram grandes demais para enxergarmos”.

Lembro como se fosse hoje. Há 6 anos eu comecei a trabalhar em uma empresa na área da saúde. Os dados analisados naquela época não passavam de 700 mil linhas e 60 colunas, e ainda eram estruturados. Algo que poderia ser administrado no Excel (com suas limitações).

Hoje, trabalhamos com arquivos que passam facilmente de 30 milhões de linhas. Percebam que isso ainda não é big data. Segundo Thomas H. Davenport, no seu livro Big data no trabalho – derrubando mitos e descobrindo oportunidades, as características de um big data são:

  • Dados com formatos não estruturados
  • Apresentam mais de 100 terabytes
  • Possui fluxo constante de dados
  • Trabalho com aprendizado de máquina
  • Produtos baseados em dados

Mas mesmo que eu ainda não trabalhe com big data, vejam o quanto o volume de dados aumentou em apenas 6 anos. Vai aumentar ainda mais. Compartilhamos o tempo todo o que estamos consumindo, por onde passamos, o que assistimos, o que lemos, quem conhecemos.

Diante de tantos indícios, eu acredito que aprender a trabalhar com big data é extremamente importante. A humanidade nunca produziu tantos dados; e a maior parte deles nos últimos 5 anos. Os dados podem dizer muito sobre você, e todos nós. Já não é mais possível tirar conclusões baseados apenas em chutes e intuições.

A arte de coletar dados para aprender e predizer sobre determinado assunto, já faz parte da sua vida (mesmo que você ainda não perceba). O simples fato de usar o GPS (ou o Waze) para chegar a um determinado local, onde você tem conhecimento sobre as condições reais da pista; o fato dos aviões compartilharem as condições climáticas, permitindo voos muito mais seguros; e até mesmo, a conexão de trens de carga e caminhões para que o produto chegue até sua casa. Para que tudo isso aconteça, o big data tem que “entrar em ação”.

Faça parte dessa revolução! Saiba do que o big data é capaz. Aprenda linguagens de programação (especificamente R e Python). Segundo David Matos, autor do Ciência e Dados, “essas duas linguagens tem polarizado as discussões sobre que ferramenta utilizar para análise”.

Além disso, aprenda metodologias de análise, como machine learning, redução de dimensão e controle de associações espúrias. Utilize esse conhecimento para melhorar a gestão de dados na saúde, ou em qualquer outra área. Faça a diferença!

Como disse Thomas H. Davenport: “o maior desafio na indústria da saúde não é o modo como o big data será coletado, mas descobrir como utilizar todos esses dados”.

Então de um modo geral, eu recomento fortemente a realização desse curso. Eu estou convencendo meus colegas de trabalho (atuários e estatísticos) a fazê-lo. Como o curso é online, algumas dúvidas sempre surgem. Talvez você também tenha os mesmos questionamentos dos meus colegas.

Então se você tem dúvidas, e ainda não confia muito em curso online, podemos dar algumas razões pelo qual vale a pena realizá-lo.

  • A educação é de qualidade e acessível a todos em qualquer lugar do mundo (revolução online)
  • Você tem acesso aos melhores cursos dos melhores instrutores e universidades do mundo. Totalmente de graça e sem sair de casa
  • O COURSERA preza por experiências de um curso real (as aulas têm dia para começar; os alunos devem assistir os vídeos semanalmente; entregar as avaliações de cada módulo no prazo combinado)
  • Os vídeos são entre 8 e 12 minutos em média (melhor do que as aulas de 4 horas, não acha?)
  • Você pode fazer avaliações em pares (com pessoas de todas as partes do mundo)
  • Comunidades dos cursos são formadas para troca de experiências e informação
  • No final do curso os alunos recebem um certificado
  • Você pode fazer quanto cursos quiser e dessa forma obterá um currículo mais personalizado de acordo com a sua necessidade
  • Com o aumento dos custos em educação (modelo presencial), convenhamos que cursos como esse são uma excelente oportunidade para continuar os estudos.

Você não vai ficar de fora, vai?


Fontes

Matos, David. “R ou Python para análise de dados?” Ciência e Dados: Data Science for Professionals. Consultado em 09/10/2015. Disponível em http://www.cienciaedados.com/r-ou-python-para-analise-de-dados/

Nerdologia. (2014, julho 10). Big Data [arquivo de vídeo]. Assistido em https://www.youtube.com/watch?v=hEFFCKxYbKM

TED. (2012, June). Daphne Koller: What we’re learning from online education [arquivo de vídeo]. Assistido em https://www.ted.com/talks/daphne_koller_what_we_re_learning_from_online_education

Amplie seu conhecimento

Davenport,  Thomas H. “Big Data no trabalho: derrubando mitos e descobrindo oportunidades”. Elsevier,  1ª edição, 30 de julho de 2014, 232p: http://amzn.to/2fXoPIZ

Siegel, Eric. “Predictive Analytics: The power to predict who will click, buy, lie, or die”. Wiley,  2ª edição, 12 de janeiro de 2016, 356p: http://amzn.to/2fXGLmD

Material usado

Imagem do mapa do Brasil: http://bit.ly/1FVGtsS

Imagem do certificado do curso: http://bit.ly/1L8LpJP

Imagem do Big Data: http://bit.ly/1VR3yi9

Siga-nos nas redes sociais

Facebook: https://www.facebook.com/oestatistico

Twitter: https://twitter.com/oestatisticoweb

Instagram: https://www.instagram.com/oestatistico

Pinterest: https://br.pinterest.com/estatisticoblog