Durante a semana do dia 24 a 29 de julho, acontece o 22° SINAPE – Simpósio Nacional de Probabilidade e Estatística. O tema deste ano é “Pesquisa, Inovação e Difusão em Estatística”. Foco em divulgar conhecimento.

Para quem ainda não conhece, o SINAPE é considerado a principal reunião científica bienal realizada pela comunidade estatística brasileira. Nos últimos anos, o evento contou com um público médio de aproximadamente 1.000 inscritos. Considerando a particularidade da profissão, e o valor de inscrição do evento, esse é um número expressivo de participantes.

Há anos o evento é organizado pela ABE – Associação Brasileira de Estatística, e já foi realizado em 5 Estados e 8 cidades (pelos menos foram os registros que eu encontrei). A ABE tem como principal objetivo, promover o desenvolvimento, a disseminação e a aplicação da Estatística no Brasil.

Que conhecer um pouquinho mais sobre o SINAPE? Saber onde ocorreram os eventos? Quais os temas mais comentados? As áreas mais exploradas? Saber quais as palavras mais citadas da última década? Então continua lendo esse texto.

A importância do SINAPE

É um evento que reúne uma grande quantidade de pesquisadores nacionais e internacionais. Essa diversidade de profissionais possibilita uma grande troca de conhecimentos e interação entre os participantes do evento, abrangendo todas as categorias: alunos de graduação, mestrado, doutorado, profissionais do mercado, pesquisadores e empresas interessadas nos serviços estatísticos.

O evento é uma das grandes oportunidades para expositores apresentarem os resultados de suas pesquisas, a fim de mostrar as mais variadas aplicações estatísticas. Além disso, ele demonstra a importância da estatística para um crescimento científico de qualidade, que podem gerar resultados significativos para a sociedade, como é o caso por exemplo, do estudo do pesquisador americano Michael R. Kosorok, sobre “Precision Medicine and Machine Learning”, que acontece esse ano.

Mapeando o SINAPE

Como eu havia comentado, o SINAPE aconteceu em 5 Estados e 8 cidades. Para esta estatística, eu considerei os eventos que ocorreram a partir de 1990 (9° evento).

Embora eu tenha procurado exaustivamente, eu não encontrei informações confiáveis sobre os eventos que aconteceram antes de 1990. Por esse motivo, resolvi mapear apenas os eventos dos últimos 27 anos. Quer saber quando e onde eles aconteceram? Dá uma olhada no mapa que eu criei.

mapa-sinape-oestatistico

Eu não conheço os critérios para selecionar as cidades que recebem o SINAPE. Mas podemos ver pelo mapa, que as cidades escolhidas são muito diferentes entre si, em vários quesitos. Como por exemplo, população do município, região, atuação do CONRE, proximidade com aeroportos, e várias outras.

Principais temas

Não sei se você já se perguntou quais são os temas, técnicas ou assuntos mais comentados nesses eventos. Mas eu sempre busco saber quais são as tendências da nossa área.

Fazendo uma análise rápida nos títulos das sessões temáticas, minicursos, palestras e comunicações orais, consegui chegar a algumas conclusões sobre temas abordados no SINAPE.

  • A maioria das pesquisas envolve algum tipo de modelagem estatística, e na maioria das vezes são modelos de regressão;
  • A busca incessante pela “Educação Estatística” está presente em praticamente todos os eventos;
  • A Inferência Bayesiana também se faz presente em praticamente todos os eventos;
  • Alguns temas ainda são pouco discutidos, inclusive na faculdade, como Teoria de resposta ao Item e Análise de Sobrevivência.

Essas são apenas algumas conclusões. O quadro abaixo apresenta a representatividade de cada tema ao longo dos últimos 27 anos. 

areas-sinape

Tendências

Aparentemente o uso de modelos estatísticos vem aumentando ao longo dos anos. Hoje criamos modelos para diversas aplicações, desde previsão de fraudes até identificação de características prováveis para determinada doença.

Seguindo na linha dos anos anteriores, podemos dizer que Modelos de Regressão, Modelos Probabilísticos, Processos Estocásticos, Inferência Bayesiana, Estatística Computacional (R, SAS, Python), Séries Temporais e Econometria, continuarão crescendo.

No entanto, eu me preocupei com a pouca presença de assuntos relacionados à aplicação da estatística em big data. Com o aumento exponencial de dados, e o surgimento de novas tecnologias, eu acredito que este assunto já deveria ter sido abordado com mais frequência e intensidade.

No mais, eu gostaria com esse post, apresentar a proposta do SINAPE a você, e pedir que você reflita sobre sua educação.

Você está mais focado em aprender algo que um número considerado de profissionais já sabe e usa? Ou você é um profissional que gosta de inovar, e está atrás de aplicações ainda pouco utilizadas?

Que fatia do mercado você quer pegar?

Grande abraço e até a próxima.

P.S: Não deu tempo de fazer a “nuvem de palavras”.


Siga-nos nas redes sociais

Facebook: https://www.facebook.com/oestatistico

Twitter: https://twitter.com/oestatisticoweb

Instagram: https://www.instagram.com/oestatistico

Pinterest: https://br.pinterest.com/estatisticoblog