Todos os dias você programa, mas talvez não se dê conta. Você se programa para acordar, tomar banho, escovar os dentes, tomar café, almoçar, comer um churrasco com os amigos ou ir ao cinema com as amigas. “Programar” é planejar e criar uma série de tarefas determinadas para que você alcance um objetivo. Essas tarefas fazem parte de sua programação diária, e portanto, você as programa. Mas hoje vamos falar sobre outro tipo de programação: aquela que envolve computadores.

O que é programar?

Pensando de forma racional, programar é criar códigos de instruções lógicas capazes de executar determinadas ações. Mas programação é muito mais do que razão. Envolve emoção.

Recentemente, eu perguntei nas redes sociais, o que é programar para você. Confesso que foram inúmeras respostas. Algumas mais racionais, e outras mais emocionais. Respostas surpreendentes, inusitadas e inspiradoras. Respostas com alma. Se você não respondeu à minha pesquisa, não tem problema. Faz agora um momento de reflexão, e sinta-se à vontade para deixar um comentário no final do texto compartilhando suas perspectivas e experiências. Seremos muito gratos.

Mas vamos lá! Provavelmente antes de responder o cerne do título deste post, você deve estar curioso para saber o que os leitores disseram sobre “programar é …”. Eu separei as percepções em dois grupos: razão e emoção.

Do lado da razão, tivemos respostas como programar é:

  • “É uma das formas de fazer desejos ou hipóteses se tornarem realidade, ou não”.
  • “Trazer a existência do que não existe”.
  • “Importante e necessário”.

Do lado da emoção, o sentimento é perceptível por meio das frases, e programar é:

  • “Café, bugs, emoção e muita diversão”.
  • “Explorar possibilidades e ter seu próprio mundo”.
  • “Um tesão”.

Perceba que não existe uma resposta certa. Existe àquela que você acredita.

Essas foram apenas algumas. No entanto, um leitor respondeu que para ele, programar é “criar coisas que podem ajudar muitas pessoas”! Não sei se fiquei louco, mas eu achei essa resposta incrível. No exato momento em que eu li, um filme passou dentro da minha cabeça, e percebi que programar é muito mais do que eu achava que era.

Para que serve?

A programação serve para você automatizar tarefas e realizar análises que possivelmente não conseguem ser feitas pelo ser humano, com a mesma agilidade que um programa faz. Programação tem a ver com ajudar as pessoas usando tecnologia computadorizada. É poder ter uma ideia; desenvolver os códigos para executar essa ideia; testar e aprovar; e depois ver centenas, milhares, e até milhões de pessoas usando os resultados dos seus trabalhos, movido a muito café, mensagens de erros, noites mal dormidas e alegrias inexplicáveis, seguidas pela famosa frase FDP.

É difícil imaginar nossa vida sem programação. Ela está no semáforo das ruas da sua cidade; no seu aplicativo favorito de streaming de músicas; no seu álbum de fotos do smartphone; no seu Kindle; na compra de passagens aéreas e em reservas de quartos de hotéis; está no seu dia a dia.

Todos dependemos da tecnologia para nos comunicar, para transações bancárias, informação; e nenhum de nós sabe ler um código de programação. – Will.I.Am (criador do Black Eyed Peas)

Você consegue ler este código?

Capa da Revista Bloomberg Businessweek – junho/2015: Você consegue ler este código?

Essa imagem aí em cima, é a capa da revista Bloomberg Businessweek de junho de 2015. Ela incita o leitor a entender o código de programação da capa, e diz que se ele não entender, é melhor ler a matéria.

Brincadeiras à parte, estatísticos, engenheiros, físicos, matemáticos, analistas de sistemas são propensos a aprender programação mais rápido. Faz tempo que análises e códigos não se resumem à cálculos intermináveis no papel. Se quisermos evoluir, temos que mudar.

E aí, eu pergunto: Os conceitos de programação estão “enraizados” em você? Que tipo de profissional você quer ser?

Segundo Gabe Newell, criador da Valve, “os (estatísticos) programadores de amanhã são os magos do futuro. Eles terão poderes mágicos se comparado aos outros”

Onde posso aplicar?

Não consigo pensar em uma aplicação única, pois as possibilidades tendem ao infinito. Provavelmente tudo que você pensar será possível automatizar. Desde planilhas no Excel (VBA); consultas de BI; documentos no Word; análise estatística de dados no R; organização e limpeza de base de dados.

Quer descobrir padrões de crimes em uma determinada cidade? Quer fazer combinações no sequenciamento no genoma humano? Prever resultados de uma eleição (opa, esse já está ficando mais complicado). “Quase” tudo é possível!

Se eu puder dar uma dica é: automatize suas atividades. Dessa forma, sobra mais tempo para você se dedicar na tomada de decisão, ao invés de ficar gastando tempo e munição operacionalizando a atividade <think twice, code once>

Programação nas escolas

Você aprendeu programação na escola? Lá no ensino fundamental e médio? Você sabia que:

{1 milhão dos melhores empregos nos EUA não serão preenchidos porque apenas 1 a cada 4 escolas ensina programação} – code.org

Já tem profissional gabaritado dizendo por aí, que programação é o “segundo idioma”, assim como aprender inglês foi um dia. Com muitos computadores por toda parte, isso é quase que seguir a ordem natural das coisas. Mas se formos considerar o aprendizado de uma linguagem de programação como um novo idioma, e uma nova forma de se comunicar, o que está faltando para <inserir> o conteúdo nas escolas?

Todos deveriam aprender a programar um computador, pois ensina a pensar – Steve Jobs

Ao contrário do que muita gente pensa, você não precisa ser um gênio para saber programação. Você precisa de disciplina e determinação. No começo pode até ser intimidador, mas depois você pega o jeito. Mas vamos falar a verdade, muitas coisas são intimidadoras hoje.

Programação é algo que pode ser aprendido. É um processo de ensinar as crianças a resolver problemas. Quanto mais cedo as crianças começarem, mais aptas estarão para o futuro. Quer se inspirar? Então dá uma olhada nas histórias  do Bill Gates, criador da Microsoft; Mark Zuckerberg, criador do Facebook; Drew Houston, criador do Dropbox; Jack Dorsey, criador do Twitter; Hadi Partovi, criado do code.org.

Você pode até não ter aprendido enquanto criança; pode estar em processo de transição de carreira ou em qualquer fase da vida: nunca é tarde para aprender. Não importa se você tem 12 anos, 30 ou 50. A vontade deve falar mais alto do que qualquer outra coisa (Just Do It).

Uma coisa é certa:

“Se está tentando fazer dinheiro, ou se quer mudar o mundo, programação é uma habilidade poderosa para se aprender” – Hadi, criador do Code.org

Qual superpoder você está desenvolvendo? Escolha um: R, Python, SAS, SPSS, Azure, Julia, SQL.

Um abraço, e até semana que vem!

 


Amplie seu conhecimento

Pringle, Ramona. “The push to teach coding in school reflects our digital world”. CBC News | Technology & Science – August 21, 2016: http://bit.ly/2fEiqSX

White, Sarah K. “Why every tech pro should learn to code”. CIO – July 26, 2016: http://bit.ly/2fWHlBX

Woollaston, Victoria. “Tim Cook: coding is should be a ‘second language’ taught to all children”. Wired – May 25, 2016: http://bit.ly/2gOydn6

Siga-nos nas redes sociais

Facebook: https://www.facebook.com/oestatistico

Twitter: https://twitter.com/oestatisticoweb

Instagram: https://www.instagram.com/oestatistico

Pinterest: https://br.pinterest.com/estatisticoblog