Recentemente saiu uma matéria no site Exame.com sobre a profissão do Estatístico. Ela foi considerada como a melhor profissão do ano nos EUA, segundo os critérios de análise sobre renda, estresse, ambiente de trabalho e perspectivas de ascensão do profissional.

Sem desmerecer nenhuma profissão, pois cada uma tem seu valor, essa notícia não me surpreendeu. Não sei se eu sou muito otimista, mas em um mundo repleto de dados a serem analisados, não vai me dizer que você nunca imaginou que isso pudesse acontecer? Qual profissional que tem habilidades para lidar com essa enxurrada de dados preciosos que você e eu geramos todos os dias?

Por formação, o estatístico é o profissional responsável por planejar, coletar, organizar, analisar e interpretar os dados. Nosso objetivo é “dar vida aos dados”; é fazer eles terem algum sentido. Criamos soluções baseadas em dados e informações para as empresas tomarem as melhores decisões.

O poder do estatístico está em proporcionar ao cliente uma tomada de decisão baseada em dados, informações e conhecimento.

As empresas privadas e as instituições públicas geram cada vez mais dados. Tudo é registrado e armazenado em um banco de dados. Com a percepção de que é possível gerar informação valiosa a partir dos registros, as empresas têm buscado cada vez mais o profissional da estatística.

As áreas de atuação e os trabalhos executados por um estatístico são amplos. Ele pode atuar em áreas já consolidadas, como financeira, telecomunicações, seguros, energia, agronegócio, indústria, varejo e instituições públicas (EMBRAPA, DETRAN, Prefeituras). Ou pode explorar áreas que contratam estatísticos em uma escala menor, como saúde, esportes, direito (Jurimetria), psicologia (Psicometria), neuromarketing e logística de transportes.

Uma Carreira de Possibilidades

Como você pode perceber, existe um mundo de possibilidades de atuação para o estatístico. Por sinal, esse foi um dos motivos de eu ter escolhido a profissão.

Com a crescente demanda pelo profissional no mercado internacional e nacional, o difícil vai ser você escolher qual desafio quer enfrentar. Qual área atrai mais você? Com quais profissionais você tem interesse em trabalhar? Existe uma empresa específica que você gostaria de fazer parte?

Diante de muitas possibilidades, a escolha fica ainda mais difícil para quem domina outro idioma, geralmente inglês ou espanhol. Com a situação política atual do Brasil, talvez você esteja agora decidindo seguir uma carreira internacional. Por que não? Tenho amigos trabalhando no Canadá, Estados Unidos, Alemanha, Itália, Irlanda, Inglaterra e Espanha. Nenhum deles têm reclamado da experiência fora do país.

Se você é estatístico ou trabalha com análise de dados o que você acha da profissão? Deixa seu comentário que a comunidade vai gostar de saber sua opinião.

Mas se você está pensando em fazer a faculdade de bacharel em estatística, saiba que é uma excelente oportunidade para seguir carreira. Você pode conhecer as Universidades que possuem os cursos no Brasil AQUI.

Um abraço e até o próximo texto!


Fontes

“Melhor profissão do ano nos EUA deve explodir no Brasil. Entenda”, Claudia Gasparini, Exame.com (16 de maio de 2017).

“Unidades de ensino com curso superior em Estatística”, Conselho Regional de Estatística da 3ª Região (CONRE-3).

Amplie seu conhecimento

“The Data Deluge”, The Economist (February 25, 2010).

“Data, data everywhere”, The Economist (February 25, 2010).

“The Best Jobs of 2017”,  CareerCast.com (2017).

“Statistician”, Beyond Career (June 2016)

“Por que eu escolhi a profissão de estatístico?”, Raniere Ramos, Blog O Estatístico (2 de julho de 2015).

“Qual é o papel do estatístico do futuro”, Raniere Ramos, Blog O Estatístico (9 de março de 2017).

Material usado

Imagem da mulher escrevendo: https://beyondcareer.com/statistician/