Select Page

Linguagem R | 5 dicas para melhorar seu código

Linguagem R | 5 dicas para melhorar seu código

Você tem uma larga experiência em linguagem R e se considera fluente na escrita de códigos? Ou você está começando a aprender a escrever os primeiros programas? Quem sabe, você é parecido comigo; vive trocando de ferramenta, mas não se fixa em nenhuma, e muitas vezes tem que relembrar tudo que já aprendeu.

Seja qual for a sua expertise em linguagens de programação, existem alguns objetivos “universais” que você precisa cumprir para se tornar um programador de alto nível. Seu código precisa ser fácil de ler, ser compartilhável e reproduzível.

Então, após analisar centenas de códigos em linguagem R, disponíveis no GitHub, foi possível identificar padrões de boas práticas utilizadas pelos melhores programadores do mundo.

Pensando em ajudar você a melhorar o seu código, eu resolvi dar 5 dicas que considero muito importantes para uma boa estrutura do seu programa. Saiba que existem muitas boas práticas em programação, mas aqui vamos focar em apenas 5, ok?

1. Nome do Arquivo

O nome do arquivo precisa ter significado. Parece besteira, mas não é! Muitas pessoas não dão a devida importância para o nome do arquivo e acabam por escolher um nome que não faz sentido algum com o que o programa propõe.

Exemplo: Você está desenvolvendo um programa para classificar as doenças dos pacientes em UTI de um determinado hospital.

Ok: classifcacao_doencas_UTI / classifica_doencas_hospital

Not Ok: cd_UTI / classificacao

2. Nome das variáveis

O nome das variáveis devem ser escritos todos com letras minúsculas, e se necessário com palavras separadas por . ou _ . A linguagem R é case sensitive, o que significa que ela distingue letras maiúsculas e minúsculas, e até onde eu sei, não conseguimos desativar essa condição. Então para evitar dor de cabeça, fique atento ao nome das suas variáveis.

Exemplo: Você precisa somar a quantidade de receita com a venda de planos de saúde individuais para mulheres em uma determinada operadora de planos.

Ok: soma.receita.individual.mulheres / soma_receita_plano_mulheres / soma.receita.mulher

Not Ok: calcula.plano / Receita.plano_Mulher / Soma_Plno

3. Comprimento máximo da linha

Por mais que você trabalhe com telas grandes, não podemos assumir que a maioria das pessoas trabalhe da mesma forma. Então seria interessante se você limitasse a quantidade de caracteres utilizados em uma única linha, a no máximo 80 caracteres. Se seu código passar disso, pule para a próxima linha.

4. Indentação

A boa prática de “indentar” está diretamente ligada à definição do comprimento máximo da linha e à necessidade de escrever o seu código de forma hierárquica. Essa prática facilita a visualização e o entendimento do programa.

Ok:

meu_sqrt <- function(numeros{

_____resp <- numeric(length(numeros))

_______for (i in seq_along(numeros)) {

______resp[i] <- sqrt(numeros[i])

____}

____return(resp)

}

Not Ok:

meu_sqrt <- function(numeros){

resp <- numeric(length(numeros))

for (i in seq_along(numeros)) {

resp[i] <- sqrt(numeros[i])

}

return(resp)}

5. Use espaços para os sinais

Deixe espaços entre os sinais de operação utilizados no seu código. Isso vai deixá-lo mais organizado e limpo. Também vai permitir que você encontre erros mais facilmente.

Exemplo:

Ok:

sleepdata <- select(df_sono, nome, sono_total)

Not Ok:

sleepdata<-select(df_sono,nome,sono_total)

Então é isso! Essas são as 5 dicas para melhorar seu código em R. Estude-as, aprimore e coloque em prática. Crie um código simples, direto, eficiente, sem duplicidade, feito com muito cuidado e elegante. Isso facilita o seu entendimento e o de outras pessoas no futuro, e ainda estimula outros programadores a ajudá-lo quando for preciso.

Se você gostou da dica de hoje e quiser compartilhar outras práticas que não falamos por aqui, deixa seu comentário. Vamos gostar muito de aprender com você.

Abraço e até a próxima!


Material usado

Imagem de acervo pessoal.


  • Ilka Afonso Reis

    Muito bom! Já sigo todas! Do contrário, nem eu mesma entenderia meus códigos 🙂

    • Excelente! Boas práticas devem ser adotadas sempre nos códigos de programação. Como você mesma disse Ilka, se não fizermos isso, nem nós entederemos o que escrevemos. Obrigado por contribuir!

  • Felipe Ribeiro

    Dicas bem interessantes! Sem me ligar, acabo seguindo a maioria delas.

    • Que bom Felipe!

      Resolvi comentar sobre o assunto depois que percebi o quanto é difícil entender um código não estruturado. Tem muitas outras práticas, mas foquei apenas em 5 para o texto não ficar tão longo! Depois faço uma continuação.

      Se tiver mais dicas para acrescentar, escreve aqui. A sua experiência pode ajudar outras pessoas. Abraço!

Raniere Ramos


Estatístico, Blogueiro, Conselheiro do CONRE-4, aspirante a palestrante. Louco por constante aprendizado. Minha missão é promover a estatística de um jeito simples, divertido e ao alcance de todos, como você nunca viu antes.

Assine!

Instagram

Twitter

Arquivos

Pin It on Pinterest

Shares
Share This