Select Page

Não desista da Estatística

Não desista da Estatística

Eu sei que não é fácil! Pois, eu mesmo já pensei em desistir da graduação várias vezes! Foram inúmeros motivos: primeiras notas baixas da vida; muita teoria e pouca aplicação; distância da família; intermináveis listas de exercícios; dificuldades financeiras; noites sem dormir; problemas de saúde; sentimento de incapacidade que levava a acreditar que eu não levava jeito de estatístico.

Foram vários momentos de indecisão, que acrescentaram mais anos à minha formação. No entanto, não me sinto menos estatístico por causa disso. Na verdade, sempre tento ver o lado bom das coisas. Passar mais tempo na faculdade, me proporcionou mais experiências no estágio, desenvolver uma rede ampla de networking com estatísticos; sem contar que virei até uma “lenda” na faculdade.

Mas por diversas vezes, durante a graduação, eu me questionei: será que o que eu queria, ela podia me dar? Cadê as aplicações que eu tanto sonhava? Por que eu continuava fazendo contas e mais contas até amassar a ponta do dedo? Será que eu havia escolhido o curso errado? Por que a faculdade não incentivava a prática?

Hoje eu entendo! No final das contas, tudo aquilo era necessário. Você só precisa viver (ou sobreviver) esse período, que chamamos de base sólida. Viva ou sobreviva.

O importante é não desistir da Estatística.

Ingressar no curso de bacharel em Estatística, talvez não seja uma das missões mais difíceis (para a maioria dos egressos), considerando que o índice candidatos/vaga é um dos mais baixos em todas as universidades do país; oscilando entre 4 e 7,5 no Estado de São Paulo. A Universidade de São Paulo (USP) teve 5,72 candidatos/vaga; enquanto que a UNESP ficou com 4,1; e a Unicamp, uma das que mais oferece vagas no ano (70), atingiu 7,5; todas para o vestibular de 2016.

Entrar pode até realmente ser mais fácil do que outros cursos, ou não. Mas segundo uma pesquisa do jornal Gazeta do Povo, a facilidade de ingresso, a dificuldade das aulas, e a falta de vocação, estão entre as causas mais frequentes de desistência de um curso de graduação.

Acompanhar disciplinas difíceis dos primeiros 2 anos, não é uma tarefa fácil. Cálculo, álgebra linear, geometria analítica e equações diferenciais são matérias que costumam reprovar muitos alunos, e acabam por desestimulá-los. Lembro muito bem, quando eu tirei 4,2 na prova de cálculo I (minha primeira nota vermelha), e eu não entendia como isso tinha acontecido, diante de tudo que eu havia estudado. Comecei a perceber que eu não era tão bom de matemática, como eu achava que era.

Além da dificuldade com a matemática, a grade curricular dos cursos deixa a desejar no quesito organização e prioridade, já que as disciplinas relacionadas diretamente com a estatística (que são as mais atraentes), ficam para a segunda metade do curso.

Acredito que a inserção tardia de conteúdos estatísticos, somados à matemática “pesada” nos dois primeiros anos, e à falta de aplicabilidade na prática, contribuem de certa forma para que a evasão do curso seja alta; como vem ocorrendo nos últimos anos. Mesmo com o aumento das vagas, o número de formandos continua praticamente o mesmo.

A evolução de formandos em Estatística no Brasil

A evolução de formandos em Estatística no Brasil

É possível citar vários prós que fariam uma legião se interessar pela profissão, mas para não delongarmos o assunto destacarei seis motivos que a torna atraente:

  1. A estatística está em alta;
  2. É utilizada em praticamente todas as áreas do conhecimento;
  3. É uma das profissões mais bem pagas no hemisfério norte, principalmente EUA e Canadá;
  4. Tem a segunda maior média salarial do Brasil, e vem ganhando cada vez mais espaço no mundo corporativo;
  5. Apoia as tomadas de decisões das organizações de forma estratégica, deixando do lado o empirismo;
  6. A profissão é altamente globalizada.

Entretanto, ano após ano, o número de pessoas que cursam a graduação em estatística não aumenta expressivamente. O que estamos fazendo de errado? Ou o que não estamos fazendo? Como a estatística aparece para a sociedade? O que podemos fazer como profissionais da área para aumentar o número de candidatos/vaga? Sabemos que já falta estatístico no mercado atual; e como será daqui a 5 anos?

A minha experiência um tanto quanto traumática nos anos de graduação, não fez de mim um profissional ruim. Pelo contrário, mesmo lutando contra uma grande torcida que não acreditava em mim, ou que por muitas vezes tentaram me prejudicar, tive nessa trajetória pessoas importantes que me incentivaram, e me motivaram a continuar em busca do meu sonho, que sempre foi ser estatístico.

Essa ideia que eu quero deixar hoje para você como inspiração: “não importa o quão difícil será nosso caminho, e muito menos, quantas frustrações e decepções teremos que enfrentar. O que realmente importa é o nosso sonho de fazer aquilo que nos faz feliz! ”


Fontes

Formigoni, Meiry. (2013, fevereiro 26). Curso de estatística tem vagas sobrando: profissão tem um dos maiores salários do país [arquivo de vídeo]. Encontrado em https://www.youtube.com/watch?v=GXypMylxCp4

FUVEST 2016. Relação candidato vaga por curso: http://bit.ly/2g6q0JG

Souza, André Oliveira. (2013, janeiro 23). Profissão de estatístico tem segunda maior média salarial do Brasil [arquivo de vídeo]. Encontrado em https://www.youtube.com/watch?v=knYzFmPL0b8

Amplie seu conhecimento

Biurrum, André Lacerda; Nunes, Luciana Neves. Perfil do aluno evadido do curso de estatística da UFRGS. 15 f. Universidade de Campinas (UNICAMP), Campinas, 2011. Artigo disponível em http://www.ime.unicamp.br/sinape/sites/default/files/Artigo_19SINAPE.pdf

Martins, Geraldo Oliveira; Rocha, Silvana Heidemann. Evasão e tempo de permanência no curso de estatística da Universidade Federal do Paraná: um esudo sobre os alunos que ingressaram no período de 1991 a 2011. 90 f. Trabalho de Conclusão de curso (Graduação em Estatística). Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2011: http://bit.ly/2g6ygJX

Material usado

Imagem do rato na ratoeira: http://bit.ly/1OJ0GnX

Imagem do gráfico de Bacharelado em Estatística: http://bit.ly/1Q9lwhB

Siga-nos nas redes sociais

Facebook: https://www.facebook.com/oestatistico

Twitter: https://twitter.com/oestatisticoweb

Instagram: https://www.instagram.com/oestatistico

Pinterest: https://br.pinterest.com/estatisticoblog


  • Danillo Leal

    Prezados, alguém sabe informar um curso superior a distância em estatística? Infelizmente não tenho tempo para fazer num horário fixo

    • Olá Danillo!

      Você pode acessar as plataformas Coursera (coursera.org) e Veduca (http://www.veduca.com.br/). Você encontrará excelentes cursos de estatística. E poderá fazer o horário que quiser.

  • Jailton Junior Tintino Soledade Dos Santos

    Olá, Raniere Ramos.
    Já comentei aqui em seu blog, e agora estou aqui novamente. Quero parabenizá-lo novamente pela excelente qualidade de seu site e por seus incriveis posts.
    Sou o Jailton Junior, o estudante do atual 3o Ano (na epoca eu estava no 2o) que havia lhe questionado sobre o curso de Estatística e de Matematica Pura. Acontece é que agora a dúvida é um pouco diferente: estou em dúvida entre Matemática Aplicada e Estatística.
    Já ouvi dizer que Matemática Aplicada é mais ampla que a Estatística, afinal de contas a Estatística é um ramo da Matemática Aplicada. Mas gostaria de saber quais são as vantagens e as desvantagens de cada curso, qual possui uma melhor formação para o mercado de trabalho (principalmente a área financeira), qual é a mais remunerada? Qual realmente vale a pena? E por fim, quais são as diferenças na estrutura curricular destes determinados cursos?
    Agradeço se puder responder (:

    PS: Pelo o que eu li a respeito e pelas minhas observações, indaguei-me sobre duas possibilidades questionáveis: é eficiente cursar Matemática Aplicada e depois especializar em Estatística e Finanças? Ou isto pode não valer tanta a pena, e eu deveria começar direto cursando Estatística?

    • Olá Jailton, tudo bem? Primeiramente, gostaria de pedir desculpas pela demora. Eu achei que tá tinha respondido aos seus questionamentos. Mas vamos lá!!

      As duas graduações são fundamentadas em cálculos; muitos cálculos. Mensurar vantagens e desvantagens é algo complicado porque o que pode ser vantagem para mim, pode ser desvantagem para você. Então não vamos nos prender a isso. Se você estiver pensando na área financeira, eu recomendo fortemente a graduação em Estatística. Posso dizer mais de 70% dos meus amigos estatísticos trabalham nessa área. Mas também conheço matemáticos que trabalham em bancos.

      As duas profissões estão em alta, principalmente em países da América do Norte e Europa, como EUA e Reino Unido. Estão entre a 5 melhores; mas a Matemática vem antes da Estatística na lista. No entanto, a profissão de Estatístico vêm ganhando cada vez mais status no Brasil. Enquanto a remuneração, vai depender de você, mas atualmente a carreira de Estatístico é segunda mais bem remunerado no Brasil, perdendo apenas para médico. Isso é ótimo. Pode conferir no You Tube (https://www.youtube.com/watch?v=knYzFmPL0b8).

      Referente as estruturas curriculares, basicamente os dois primeiros anos são iguais. Cálculo, Álgebra Linear, Matemática Elementar, Matrizes; tudo faz parte do aprendizado das duas profissões. Só a partir da metade do curso em diante, é que as disciplinas divergem. Mas independente da qual você escolher, serão muitos cálculos.

      Se você quiser realmente entrar para a área de Estatística, aconselho a começar nesse curso. Lembrando que precisa gostar muito de computadores também, ok? Se quer algo mais “acadêmico” ou teórico, faça matemática aplicada sempre estudando exemplos de aplicações reais, ok?

      Bom é isso! Espero ter ajudado!

  • Fabiano Santos

    Olá Raniere. Parabéns pelo blog e pelos conteúdos – eles são sensacionais. Não sei se pode me ajudar com uma dúvida… as universidades públicas q oferecem o curso tem horários inflexíveis, então tentei em 2013 numa faculdade particular aqui em SP/SP, porém não formou turma. Este ano outra faculdade tb aqui na capital teve liberação do MEC para ministrar o curso. Ocorre que nas duas situações, tanto em 2013 quanto em 2016 não formou turma obviamente devido a baixa procura pelo curso. Em algumas pesquisas que fiz descobri q muita gente nem sabia da existência desse curso. É meu sonho ser Estatístico, mas é muito complicado qdo não tem turma. Vc sabe me dizer se a baixa procura nas faculdades particulares ocorre devido a facilidade de entrar no curso através da universidade pública ou se ocorre porque o curso é difícil o ainda pq é pouco divulgado?

  • Olá Fabiano! Obrigado pelos elogios.

    Referente a sua dúvida vou falar sobre a minha percepção diante do problema. Eu acredito que seja uma junção de fatores que fazem com que não fechem turmas em uma particular (e poucos alunos se formem nas universidades públicas). Ainda há baixa procura pelo curso de estatística, nas universidaes em geral, porque muitas pessoas sequer sabem que existe uma graduação. Posso afirmar isso diante de tantos e-mails que recebi ao longo de 1 ano de blog, sobre essa questão. Além disso, nas universidades públicas, a relação candidato/vaga pode até ser baixa, mas a nota de corte para entrar é alta. Se não bastasse, os cursos das estaduais e federais costumam ser em período integral, o que inviabiliza o aluno de trabalhar. Acredito que o curso de estatística também é pouco divulgado, mesmo os CONRE’s fazendo um trabalho de divulgação; falta marketing da “profissão”. A evasão do curso é alta porque a base matemática (necessária) dos dois primeiros anos é pesada, e muitos alunos desistem. Junte a isso, a falta de aplicação da estatística em si, no início da graduação (isso desestimula o aluno).

    Então para resumir eu diria que: o curso de graduação em estatística não é muito divulgado; a maioria das universidades inviabiliza o aluno de trabalhar; o conteúdo do curso é pesado; as pessoas, de um modo geral, não sabem o que nós fazemos (a não ser em épocas de eleicões). Mas é um curso muito gratificante.

    Espero ter respondido sua dúvida.

    • Fabiano

      Entendi sim Ranieri… foi esclarecedor… muito obrigado e pfv continue com o blog… rsrs… andei sumido devido trabalho mas sempre que puder aparecerei por aqui. Valeu… Gde abraço!

      • Olá Fabiano, que ótimo ter esclarecido sua dúvida. Vou continuar sim; até investi em layout novo! Sempre que possível comente mas matérias. Isso ajuda a divulgar o blog! Grande abraço!

  • rafael augusto

    Olá Raniere. Tudo bom ? Antes de tudo, parabéns pelo blog ! Ótimos conteúdos, sempre interessantes..

    Eu cursava Estatística no IME-USP, em São paulo, mas por motivos relacionados a mudança da minha família para outra cidade, acabei trancando o curso.
    Este ano pretendo prestar vestibular novamente pra Estatística, só que desta vez na UNESP de Presidente Prudente ( é bem próximo de onde moro atualmente). Por coincidência, olhando seu perfil no Linkedin, percebi que você é formado pela Unesp… hahaha.
    Então, gostaria de saber sua opinião, em específico, sobre o curso de Estat. da Unesp… No geral ,você acha que é um bom curso? , os professores têm uma boa didática? ( haha ), existe uma infraestrutura legal? … etc.

    Se puder me ajudar dando algumas ideias gerais agradeço. Abraço !

    • Olá Rafael, tudo bem? Obrigado por prestigiar nosso trabalho! Um dos objetivos do blog é incentivar e promover a profissão de Estatístico, e levar conhecimento para a sociedade. Mas vamos lá!

      Na minha opinião, o curso de Estatística da UNESP tem uma base extremamente forte, e bastante teórica. Os professores são muito bem qualificados (praticamente todos doutores), e o conteúdo oferecido na graduação é bem completo e intenso. Um dos pontos negativos é a cidade e a grade curricular imensa do curso que não permite que você faça estágio em alguma empresa, como estatístico. A economia da cidade e a falta de conhecimento do profissional dificultam a prática nas empresas.

      A infraestrutura do campus é bem legal. Dá para aproveitar muita coisa. Além disso, é um lugar bem tranquilo para você aprender. A didática dos professores é voltada para a academia. Não espere “conteúdo mastigado”; você vai frequentar muito a biblioteca.

      No geral, o curso é muito bom! Vale a pena estudar lá, principalmente se você quiser mestrado e doutorado, por causa da base sólida.

      Espero ter ajudado. Grande abraço Rafael!

  • Carlos

    Gostaria de saber se eu tenho que conhecer assuntos relacionados à computação para cursar estatística. Se poder me responder ficarei agradecido.

    • Olá Carlos! Para entrar no curso você não precisa, mas quando estiver nele, você aprenderá lógica de programação e provavelmente estudará com algumas linguagens como R e SAS. Provavelmente todo estatístico trabalha com um computador, pois o volume de dados a ser analisado só vem aumentando.

Raniere Ramos


Estatístico, Blogueiro, Conselheiro do CONRE-4, aspirante a palestrante. Louco por constante aprendizado. Minha missão é promover a estatística de um jeito simples, divertido e ao alcance de todos, como você nunca viu antes.

Assine!

Comentários recentes

Instagram

Twitter

Arquivos

Pin It on Pinterest

Shares
Share This